A Canção Nova chegou em Portugal, no dia 22 de agosto de 1998, para viver numa freguesia chamada Calvaria. No inicio, três missionárias eram responsáveis pela evangelização no local: Roselaine, Selma e Márcia Costa. Mas Deus tratou logo de providenciar pessoas para ajudar esta Obra de Deus a se instalar nas terras européias. Padre Filipe e Irmã Ettiene, da Congregação das Religiosas da Instrução Cristã, foram como anjos para a missão.

Em Calvaria, a vida dos membros da Comunidade acontecia de maneira muito simples: eles cuidavam da casa; faziam adorações; promoviam grupos de oração na aldeia; levavam eucaristia aos doentes; e promoviam encontros de evangelização e de jovens, tanto no local como nas cidades vizinhas. E assim, viveram durante um ano e dez meses, até que, por meio de uma visita do monsenhor Jonas Abib, Deus mostrou que a Obra precisava crescer ainda mais.

Primeiras missionárias contam um pouco da história

Nessa altura, os missionários já somavam cinco, sendo três raparigas e dois rapazes. Com a ajuda de padre Filipe e o, então na época, Bispo Dom Serafim Ferreira Sousa e Silva, eles adquiriram a casa Maranathá, que pertencia ao Seminário Diocesano e se localizava na cidade de Leiria. Como em várias situações do cotidiano desses filhos de Deus, a providência se manifestou: uma amiga da Comunidade restaurou a casa para que os membros pudessem viver lá. Em junho de 2000, as novas instalações já estavam prontas.


A casa em Leiria foi um salto maior para a missão. Nesse período, o trabalho consistia em visitar grupos de oração da Diocese local e do norte e sul de Portugal, além da produção de algumas matérias para a televisão de acontecimentos do Santuário de Fátima. “Nosso cenário, na época, era debaixo das árvores, mandávamos o material ‘bruto’ para o Brasil, pois não tínhamos ilha de edição aqui”, conta a missionária Roselaine Iria.


Nessa época, aconteceu algo muito marcante para a missão: devido aos inúmeros pedidos dos portugueses, os missionários resolveram gravar o seu primeiro cassete de música, com canções antigas do Renovamento no Brasil e da Canção Nova. “Graças a Deus vendemos bastante, as pessoas gostavam muito, mesmo diante de toda simplicidade. Gostaram tanto que até gravamos uma 2ª edição”, testemunha Roselaine.


A missão ia crescendo a cada dia. Até que em maio de 2001, Deus os desafiou a fazer a primeira transmissão da Canção Nova nas festividades da peregrinação do 12 e 13 de maio. Após a transmissão, Eto e monsenhor Jonas levou aos membros que Nossa Senhora de Fátima queria a Canção Nova no altar do mundo, não só a Comunidade, mas a TVCN. Foi assim que criou-se a produtora de TV em Portugal.


Com o crescimento da missão, era necessário um local maior para trabalhar. Deus não tardou e a divina providência mais uma vez agiu. O reitor do Seminário de Leiria, vizinho da Casa de Evangelização, cedeu um espaço dentro do seminário, onde os missionários tinham uma sala de produção e a ilhas de edição analógica e digital. “Foi ai que começamos a produzir programas para os portugueses”, explica Roselaine.


Em meio a tudo isso, a pedido de Dom Augusto César - que era o Bispo da cidade de Portalegre – a Comunidade abriu uma outra casa de missão na sua diocese, em 13 de junho - dia de Santo Antônio de Lisboa. Outros missionários vieram para o país ajudar na evangelização.


Em 2002, a Canção Nova adquiriu uma nova casa de missão, que hoje centraliza toda a produção. Atualmente, o local conta com estúdios; salas de produção e edição; administração; atendimento ao benfeitor; e capela.

Em 2007, os missionários de Portugal ganharam mais presentes de Deus: uma rádio; livrarias em Braga e no shopping em Fátima; transmissões diárias direto do Santuário de Fátima; e a nova programação da TVCN, que a cada dia é mais voltada para o povo português. “Deus seja louvado por cada um que colocou um tijolinho na construção dessa missão”.